logo

A Frágil e Triste vida de um Testador de Gaveta

Testador de gaveta.. Que profissão ingrata..

Ninguém lhe dá os parabéns pelo teste bem feito,

Ninguém vai pedir sua opinião.

"Malditos Marceneiros!" o Testador de Gaveta brava todos os dias.

Ninguém reconhece seu esforço diário para se certificar que as gavetas abrem e fecham.

...

Ninguém conhece sua existência até o dia que a gaveta não fecha direito.

..

No dia que a gaveta não fechar, alguém irá perguntar por que o Testador deixou aquela gaveta passar.

Nesse dia todas as desculpas do mundo não serão suficientes.

O Testador dirá que o marceneiro não seguiu o protocolo.
O Testador dirá que foi por causa da mudança da madeira.
O Testador dirá que existem muitas gavetas para testar e muitos formatos diferentes.

Nada disso importa...

O marceneiro já havia alertado o Testador de gavetas:
"Meu caro amigo, meu trabalho nem sempre é empolgante. Também faço e entrego o mesmo tipo de gaveta na maioria do tempo... por isso eu automatizo esse processo. Por que você não faz o mesmo?"

O Testador de gaveta sempre achou que suas técnicas eram suficientes.

"Ferramentas são para marceneiros e carpinteiros" o Testador de gavetas dizia. "Meu cérebro é minha melhor ferramenta" o Testador de gavetas dizia.

O Testador de gaveta falhou e será substituído pelas mesmas ferramentas que tanto demonizou.

O Testador de gaveta deixou de ser relevante, no dia que resolveu ser um testador de gaveta.

Marcenaria é a arte em questão.

Puxar a gaveta qualquer mamífero com polegares opositores pode fazer.

Mas o Testador de gaveta não precisa se tornar artesão para ser relevante.

Relevante é aquele que ajuda o marceneiro a ser um profissional melhor a cada dia, e da suporte para que ele possa fazer a melhor arte que ele possa, aprendendo com erros do passado e melhorando sua performance no futuro.

OH meu amigo Testador de gaveta, não se desespere.

Para ser esse profissional não é preciso muita coisa.

Tudo que você precisa fazer é abandonar essa profissão e esse pensamento ingrato.

comments powered by Disqus